Seja bem-vindo - Sábado, 21 de Outubro de 2017 - 13:58

A Esmola


Dai esmolas e vossos pecados serão apagados.

"Daí esmola e vossos pecados serão apagados" (Lucas 11,41). Sim meus irmãos, pela esmola podemos facilmente resgatar nossos pecados e atrair sobre nós as bênçãos do céu mais abundante sobre nossos bens e sobre nós mesmos. Digamos ainda melhor, pela esmola podemos evitar as penas eternas.

Oh, meus irmãos, se Deus tivesse querido, seríamos todos iguais. Mas não! Ele previa que sendo orgulhosos, não iríamos querer submeter-nos; nem uns nem outros. Foi precisamente por isso que pôs ricos e pobres no mundo, para que pudéssemos ajudar-nos a nos salvar uns aos outros. Os pobres se salvarão sofrendo com paciência e pobreza e pedindo com humildade auxílio aos ricos. Os ricos, por seu lado, encontrarão meio de expiar seus pecados compadecendo-se dos pobres e tendo o dever de ajudar os seus irmãos mais necessitados. Vede meus irmãos, que desse modo podemos todos salvar-nos.

Na hora do juízo final. É certo que essa hora será terrível. O profeta Joel o chama “o dia das vinganças do Senhor” dia sem misericórdia, dia assustador e desesperador para o pecador. Mas, diz-nos um santo: “quereis que esse dia seja para vós não um dia de desespero, mas de consolação, daí esmola e sereis felizes”. E é só no dia do juízo que descobriremos todos os seus valores. Se me perguntarmos os motivos, ei-los; podermos dizer que supera todas as boas ações.

A esmola no Antigo Testamento:

Lemos na Sagrada Escritura que o Senhor disse a seu profeta Isaias “vá dizer a meu povo que seus crimes me irritaram tanto que já não posso mais suportá-los. Vou puni-los e perde-los para Sempre. Contudo no meio de tantos males, tenho um conselho a vos dar que é muito poderoso para atender o coração do Senhor, e podereis força-lo a vos fazer misericórdia: eis que tende fazer: daí uma parte de vossos bens a vossos irmãos pobres: daí pão aos que tem fome, roupa aos que estão nus, e vereis de repente, mudar vossa sentença”. Depois que todo o povo obedeceu ao profeta, o Senhor chamou Isaías dizendo lhe: “profeta vá dizer ao meu povo que ele me venceu que a caridade por eles praticada para com os irmãos foi mais que minha cólera. Vá dizer-lhes que eu os perdoo e lhes prometo minha amizade”.

Também na sagrada escritura, podemos ver que o Santo Tobias quando fora conduzido cativo na Syria, ficou encantado em poder exercer a atitude de dar esmola junto aos infelizes. À noite e de manhã ele distribuía tudo o que tinha a seus irmãos pobres, sem nunca reservar nada para si. Despojava-se até de suas próprias roupas para dá-las a seus irmãos pobres. Um dia chamou seu filho perto de sua cama e disse: “meu filho logo o Senhor vai me retirar deste mundo. Tenho uma Grande coisa a te recomendar antes de morrer: promete-me, meu filho que a observarás: dá esmola como puderes. Se tiveres muito, se tens pouco, dá, mas dá de bom coração e com alegria. Por esse meio juntarás tesouros para o Dia do Senhor. Não perca jamais de vista, que a esmola apaga nossos pecados e os preserva de cometer outros”.

O profeta Daniel nos diz: “se queremos levar o Senhor a esquecer de nossos pecados, demos esmola e imediatamente o Senhor os apagará de sua memória”.

O Rei Davi nos diz: “meu filho, não suporteis que vosso irmão morra de miséria se tendes o que lhe dar, porque o Senhor promete benção abundante aquele que ajuda o pobre e Ele cuidará de sua manutenção”.

A esmola no Novo Testamento:

Escutai o próprio Jesus Cristo que nos diz no Evangelho: “se dais esmola, abençoarei vossos bens de modo particular. Dai diz Ele, e vos será dado. Se derdes em abundância, ser-vos-á dado em abundancia”.

Depois da ressurreição de Jesus Cristo. Ele apareceu a São Pedro dizendo-lhe: “vá procurar o centurião Cornélio, pois suas esmolas chegaram a mim, elas lhe merecem salvação”. São Pedro foi e encontrou Cornélio rezando e disse: “suas esmolas agradaram tanto a Deus que Ele me mandou para vos anunciar o Reino dos Céus e vos batizar”.

Vemos nos atos dos apóstolos que era tão grande a caridade deles que não queriam ter nada em particular. Muitos vendiam seus bens para dar dinheiro aos pobres.

A esmola e os primeiros cristãos:

No tempo dos primeiros cristãos, as pessoas de bons corações, pareciam ficar contentes por terem bens, para terem o prazer de dá-los a Jesus Cristo na pessoa dos pobres.

(Vejam ao lado a foto de um esmoleiro do início do século XIV, este esmoleiro está em Lisboa – Portugal.)

Conta-se na história que um burguês ao encontrar um pobre, ficou tão comovido que chorou por causa de sua miséria. Sem nada examinar pega sua roupa de cima e lhe dá. Dias depois, ficou sabendo que esse pobre a vendera. Ficou muito triste. Ao rezar, dizia a Jesus Cristo: “Meu Deus, vejo que eu não merecia que esse pobre usasse minha roupa”. Nosso Senhor apareceu-lhe com sua roupa nas mãos dizendo-lhe: “você reconhece esta roupa?” Ele se pôs a gritar: “ah, meu Deus, é a que eu dei a esse pobre”! Pois bem lhe diz Jesus Cristo: “você vê que ela não está perdida e que você me deu muita alegria dando a mim na pessoa do pobre”.

Sobre a esmola e os Santos:

Os santos amaram tanto a esmola que pensavam que era impossível salvar-se sem ela.

Santo Ambrósio nos diz que a esmola é quase um segundo batismo e um sacrifício propiciatório que nos faz obter graça diante de Deus. Diga-me que remorso no juízo para aqueles que desprezam e caçoam dos pobres, quando Jesus Cristo lhes mostrar que foi a Ele mesmo que injuriaram!

Na vida de São Francisco Xavier, que indo pregar no país dos bárbaros, encontrou no Caminho um pobre coberto de lepra. Deu-lhe esmola, após alguns passos, se arrependeu por não telo abraçado para mostrar como compartilhava seus sofrimentos. Virando se para vê-lo, não viu ninguém. Era um anjo que se apresentava na forma de um pobre.  (Ao lado temos a foto de um par de sandálias rustica e simples, utilizadas pelos santos e cristãos nos primeiros séculos).

Vejamos o que aconteceu a São Martin que passava na rua. Encontrou um pobre em extrema miséria. Ficou tão sensibilizado que não tendo nada para ajudar, cortou a metade da roupa e lhe deu. Na noite seguinte, Jesus Cristo apareceu-lhe com a metade de sua roupa cercado de um bando de anjos a quem dizia: “Não há nenhuma ação pela qual Deus faça tantos milagres quanto a favor das esmolas”.

Em duas palavras, escutem bem:

Tomemos Cuidados meus irmãos, quando nós não queremos ou não podemos dar. Não o desprezamos nunca, porque é Jesus, ele mesmo, que nós desprezamos. O pouco que nós damos, o demos de bom coração, com o pensamento de agradar a Deus e de redimir nossos pecados.

Temos de ter em vista, todo o bem que fazemos para o nosso próximo, de agradar a Jesus Cristo que nos pede esta ação e de salvar nossas almas.

Conclusão:

O que devemos concluir de tudo isso é o seguinte: é que a esmola é de um mérito tão grande aos olhos de Deus, que ela é muito poderosa para atrair sobre nós as misericórdias de Deus, que ela parece colocar nossa salvação em segurança. É necessário fazermos o que pudemos, enquanto estivermos na terra. Más é necessário fazê-lo com puras intenções, quer dizer, tudo para Deus e nada para o mundo. Como nós seremos felizes se todas as esmolas que fizemos durante nossa vida, nos acompanhar diante do tribunal de Jesus Cristo para nos ajudara ganhar o céu! É a felicidade que eu vos desejo!

Referência do texto:

Estes são alguns trechos de sobre a esmola, retirado do livro: “O mérito da esmola” de João-Maria Vianney Cura d'Ars, Edições Logos. Uma excelente dica de leitura a todos os Católicos que queiram encontrar subsídios e crescer espiritualmente.

Onde encontrar o Livro:

Esta excelente dica de leitura poderá ser adquirido através da Loja Virtual deste site, no site da editora, www.edicoeslogos.com.br 
 ou nas Livrarias do Santuário Maria Porta do Céu e Nossa Senhora Desatadora dos Nós.
 

Adquira o seu livro aqui:

Clique aqui! Página dos livros, loja virtual do site.




Ligações internas sobre o assunto