Nossa Senhora Desatadora dos Nós

Nossa Senhora Desatadora dos Nós
Foto do arquivo: Quadro de Nossa Senhora Desatadora dos Nós.

Conheça a verdadeira história da Mãe do belo amor!

É com muita alegria que me dirijo a você, hoje, para narrar-lhe a verdadeira história de Nossa Senhora Desatadora dos Nós. Trouxemos, Denis Bourgerie e eu (Suzel Frem Bourgerie), esta devoção ao Brasil em outubro de 1999 e, hoje, ao contemplá-la espalhada em todos os lugares e corações, lotando o Santuário onde tudo começou aqui em Campinas.

Só podemos agradecer sem cessar a Jesus e à Virgem do Belo Amor, porque só há uma resposta para que os olhos têm contemplado e o nosso coração experimentado: é a graça divina se manifestando nas vidas dos que Nela crêem e lançam seus problemas, como nós em suas Mãos de Misericórdia!

São milheres de pessoas que já passaram por este santuário, muitas delas vindas de longe, até mesmo de países vizinhos ao Brasil para orarem.

Este santuário, apesar de não se encontrar no centro da cidade, ficando situado discretamente em um bairro, passou a ser descoberto pelo Brasil e os fiéis o procuram sem medir esforços para ver a Mãe que desata os nós!

Quantas famílias reconciliadas! Quantos esposos voltando à Igreja! Quantos empregos concedidos! Quanta conversão! Fiéis que chegam de joelhos desde a rua até onde Ela se encontra no santuário, como sacrifício e reconhecimento pela graça concedida.

Cada vez mais fiéis o visitam e não podemos deixar de reconhecer que a Virgem Maria mudou completamente a vida do santuário a partir da entronização do seu quadro ali.

Dia a dia após Sua chegada, foram chegando os seus filhos e hoje, vemos a Glória de Deus diante de nossos olhos.

As missas lotam cada dia mais o santuário, que hoje parece pequeno: jovens, crianças, velhos, pobres, ricos, enfermos, famílias inteiras, enfim, o povo de Deus vem pedir auxílio à Mãe, que desata os Nós e Maria concede abundantemente o que lhe é pedido.

A devoção a Nossa Senhora Desatadora dos Nós.

Na verdade, Nossa Senhora Desatadora dos Nós é uma devoção que surgiu em 1700, na cidade de Ausburgo, na Alemanha. Um pintor desconhecido pintou a Virgem Maria inspirado na meditação feita por São Irineu, bispo de Lyon e mártir no ano 202, que, à luz do paralelismo escrito por São Paulo sobre Adão-Cristo, criou o de Eva-Maria, dizendo: “Eva, por sua desobediência, atou o nó da desgraça para o gênero humano; ao contrário, Maria, por sua obediência, o desatou!”

Este quadro foi então colocado na pequena igreja de São Peter am Perlack em Ausburgo e ali está até hoje nesta igreja que é cuidada pelos jesuítas locais. Ali foi onde tudo começou, fonte desta fé. A devoção à Maria Desatadora dos Nós, então, como vocês podem ver, já existe há 300 anos!

Portanto, não é uma devoção de agora. Não se trata de uma aparição da Virgem Maria a alguém, como aconteceu em Lourdes ou em Fátima. Trata-se de uma devoção respeitada como tantas outras existentes na Igreja Católica, embora a Virgem Maria seja uma só.

Mas, como tudo começou?

Quando Denis Bourgerie encontrou Nossa Senhora Desatadora dos Nós pela primeira vez, vendo o quadro, sentiu-se profundamente tocado em seu coração, ele que sempre amou a Virgem Maria e construiu o primeiro Santuário dedicado a Ela o Santuário Maria Porta do Céu e posteriormente um Santuário dedicado somente a Ela, Nossa Senhora Desatadora dos Nós.

Denis permaneceu estarrecido diante de tanta beleza, dos detalhes tão ricos, no plano da fé, das mensagens ali contidas no quadro e o nome, Nossa Senhora Desatadora dos Nós, não lhe deixou mais o coração sossegado por dias e dias. Por quê? Precisava fazê-La conhecida no Brasil, afinal quem não tem algum nó a desatar, um problema que não conseguimos solucionar e que nos atam e nos impedem de cantar as maravilhas de Deus? Então, impulsionado pelo desassombro que lhe é peculiar (e principalmente hoje podemos ver, pelo Espírito Santo e a Virgem Maria) Denis foi à luta. Após grande batalha burocrática, finalmente, depois de alguns meses, o Santuário Maria Porta do Céu foi presenteado com uma réplica do quadro de Nossa Senhora Desatadora dos Nós.

Quanta alegria! Sentíamo-nos honrados, agraciados com tal presença, mas não tínhamos idéia do que viria…, do que nossa Mãe planejava. O primeiro Santuário o Maria Porta do Céu foi construídos há mais de 10 anos por nós, leigos, quase sem doações, com muito sacrifício, uma vez que o dinheiro que tivemos para erguê-lo veio dos livros que escrevemos durante anos.

E cada tijolo ali foi posto na fé porque muitas vezes não tínhamos a quantia que precisávamos.

O primeiro sinal do céu que recebemos para ir em frente foi a doação do terreno pela Prefeitura local. Não esperamos mais. Partimos então na fé, porque Deus tem pressa. Nosso Pai é rico e nossa Mãe é Rainha. Depois de quatro anos a construção do santuário se concretizou, mas nossos sonhos não, porque a obra ficará completa quando pusermos em funcionamento o Centro de Terapia da Dor e Cuidados Paliativos LO TEDHAL (LO TEDHAL em aramaico significa “Não temas”) para oferecer alívio ao sofrimento a pacientes portadores de enfermidades sem cura e seus familiares.

E foi neste Santuário que Nossa Senhora Desatadora dos Nós, de tão longe, finalmente veio para ficar. Uma vez chegada aqui, Ela foi entronizada ao lado do altar.

A partir daí, dia após dia, foram chegando fiéis que, ao vê-La, colocavam-se de joelhos e se punham a rezar para Ela. E cada dia mais fiéis começaram a visitá-La, e mais fiéis… As graças foram então concedidas e nunca mais parou. Hoje a novena que escrevi à Nossa Senhora Desatadora dos Nós já está editada em mais de 10 países e temos sentido que, quando vamos levá-La a estes países, os corações destes povos contemplam a Virgem e se apaixonam por Ela. Temos certeza de que é do agrado de Deus esta devoção:

  • Já que este quadro reflete a fé Igreja Católica na Mãe de Deus e expressa claramente a Mediação Maternal da Virgem Santíssima;
  • Não teríamos até hoje tal número de testemunhos e fiéis aos seus pés;
  • Temos experimentado em nossas vidas o seu extraordinário poder intercessor e visto o mesmo acontecer na vida dos Seus filhos que a Ela recorrem;
  • Temos a aprovação da novena pela Igreja uma vez que nos foi concedida a “Imprimatur” e o Nihil Obstat” pelo Cardeal de Paris.

Vivemos em tempos difíceis onde os problemas, os nós, as tentações, a falta de paz, enfim, o mal que nos cerca de todos os lados, parece querer nos devorar vivos, como leão. (I Pedro 5,8).

Ligações internas sobre o assunto