Família Cristã

Família Cristã

Conheça os verdadeiros deveres da Família Cristã.

“A família cristã nasce do matrimônio que é uma imagem e participação da sociedade de amor entre Cristo e a Igreja; ela revela a todos os homens a presença viva de Cristo no mundo e a autêntica natureza da Igreja pelo amor e generosa fecundidade dos esposos, por sua unidade e fidelidade, e através do modo amável pelo qual todos os membros da família cooperam uns com os outros.” (1)

“A família Cristã é uma comunhão de pessoas, um sinal e imagem da comunhão do Pai e do Filho pelo Espírito Santo. Na procriação e educação dos filhos ela reflete a obra criadora do Pai.” (2)

O Verdadeiro Amor Conjugal:

“O verdadeiro amor conjugal está direcionado a dispor os conjugues a cooperar valentemente com o amor do Criador e Salvador que, através deles, irá reforçar e enriquecer sua família, dia após dia”. (3)

Os deveres dos esposos:

  1. Os esposos cristãos devem render-se um ao outro com um amor que é fiel, virtuoso e fecundo até a morte. Seu casamento em Cristo é um Sacramento que significa a união de Cristo e de sua Igreja e eles não devem se engajar em qualquer atividade sexual fora de sua união matrimonial. Seu amor conjugal deve ser uma doação mútua de si que não é artificial. (4)

  2. Os esposos cristãos devem sempre se dispor a aceitar os filhos que Deus deseja lhes dar em seu amor conjugal. Eles são os primeiros professores de seus filhos e devem educá-los na verdade da fé católica, treiná-los na prática da virtude cristã, prover suas necessidades físicas intelectuais, morais e espirituais, e estabelecer-lhes um bom exemplo de vida familiar. (5)

  3. Os maridos cristãos devem amar suas esposas como Cristo ama a Igreja. Devem respeitar a dignidade de suas mulheres e prover suas necessidades legítimas. O marido cristão deve exercer de modo amoroso a autoridade que lhe foi dada por Deus como cabeça de família. (6)

  4. As esposas cristãs devem ser fiéis, submissas, devem ajudar sempre seus maridos que lembram Cristo, que é a cabeça da Igreja, e devem executar as decisões acertadas de seus esposos. A esposa cristã deve ser uma companheira leal para seu marido e zelar para que exista um lar de amor onde ela cuide do bem estar de sua família. (7)

“O autêntico amor conjugal é envolvido pelo amor divino e é dirigido e enriquecido pelo poder redentor de Cristo e pela ação salvífica da Igreja, cujo resultado é que os esposos são efetivamente conduzidos para Deus e são ajudados e fortalecidos em sua sublime missão de pais e mães”. (8)

“Sujeitai-vos uns aos outros no temor de Cristo”. (Ef. 5,21).

Os deveres dos filhos:

“Honra teu pai e tua mãe”. (Dt, 5,16).

“Filhos, obedecei a vossos pais segundo o Senhor”. (Ef. 6,1).

  1. Os filhos devem amar e respeitar seus pais. (9)

  2. Os filhos devem obedecer seus pais em tudo, exceto no pecado. (10)

  3. Os filhos têm obrigação de ajudar seus pais na velhice ou quando estiverem doentes e desamparados e de rezar por eles. (11)

  4. Os filhos devem honrar e obedecer a seus professores e outros investidos de autoridade enquanto estiverem sob seus cuidados. (12)

“Os filhos, como membros vivos da família, contribuem de forma própria para a santificação de seus pais. Com sentimentos de gratidão, afeição e confiança, eles pagarão a seus pais pelos benefícios dados a eles e virão assisti-los como filhos dedicados em tempo de dificuldades e solidão da velhice.” (13)

“Por sua própria natureza, a instituição do casamento e amor conjugal é para a procriação e educação da prole e é aí que encontra sua glória coroada… Na verdade, os filhos são o presente supremo do casamento e contribuem enormemente para o bem dos próprios pais.” (14)

“De todo o coração honra teu pai, e não esqueças dos gemidos de tua mãe. Lembra-te de que não terias nascido sem eles, e faze por eles o que eles fizeram por ti.” (15)

Oração à Sagrada Família:

Ó Sagrada Família- Trindade da terra, ó Jesus, Maria e José, sublimes modelos e tutores das famílias cristãs, nós vos rogamos não só para nos confortar com a doce contemplação de vosso amável exemplo, mas também para implorar vossa proteção e prometer-vos fidelidade no caminho que nos apontastes.

Que todos os lares, tornados santos como o vosso, sejam para seus membros escola de virtude, abrigo de santidade, numa rota segura para a eterna felicidade que, confiantes, esperamos ganhar por vossa intercessão.

Amém.

Referência do Texto:

(1) A Igreja no Mundo Moderno, 48.
(2) Catecismo da igreja Católica, 2205.
(3) A Igreja no Mundo Moderno, 50.
(4) cf. Catecismo da Igreja Católica, 1612-1615, 1638-1642, 1644-1648,1661,2363-2367,2376-2378,2380-2391.
(5) cf. Catecismo da Igreja Católica, 1652-1653, 1650, 2221-2226, 2228-2229, 2371.
(6) cf. Catecismo da Igreja Católica, 1616, 1897, 1900, 2235, 2236, 2238.
(7) cf. Catecismo da Igreja Católica, 371, 1930-1931, 2204, 2331, 2334.
(8) A Igreja no Mundo Moderno, 48.
(9) cf. Catecismo da Igreja Católica 2216, 2220, 2227.
(10) cf. Catecismo da Igreja Católica, 2216, 2220, 2227.
(11) cf. Catecismo da Igreja Católica, 2208, 2218.
(12) cf. Catecismo da Igreja Católica, 2217.
(13) A Igreja do Mundo Moderno, 48; cf. Familiares Consortio, 26, 36, 41.
(14) A Igreja no Mundo Moderno, 48, 50.
(15) Eclo 7, 29-30.
(16) cf. A Igreja do Mundo Moderno, 48; Cânon 1055.
(17) A Igreja no Mundo Moderno, 50.
(18) A Igreja no Mundo Moderno, 50.
(19) A Igreja no Mundo Moderno, 51.
(20) Humanae Vitae, 11.