Eu tenho sede, disse jesus!


Eu tenho sede, disse jesus!

Você saber que tipo de bebida se dava aos crucificados? Geralmente se colocava para aqueles que iam morrer uma esponja molhada com uma bebida feita com mistura aromática, assim deixaria o crucificado levemente embriagado, permitindo suportar seu sofrimento com menos dores. No caso de Jesus foi bem diferente, pois Ele não parava de dizer: “eu tenho sede! ”. Então foi lhe oferecido uma esponja, embebida com vinagre, fel e outras plantas. Esta bebida era feita para provocar dores insuportáveis no estomago do crucificado. Mesmo neste último momento não foi lhe oferecido uma bebida para aliviar, mas sim para aumentar seu sofrimento.

“Eu tenho sede! ”, é extraordinário. Alguns momentos antes de morrer de asfixia, porque todo seu corpo vai tetanizar com câimbras, Ele revela mais uma vez seu amor, dizendo: “Eu tenho sede! ”. Tenho sede de todas as tuas amarguras, todo o veneno que você ainda carrega no teu coração e que te mata, eu tenho sede de beber a amargura de tua vida para te aliviar e te libertar. Esta sede do Senhor significa que ele tem sede de salvar ainda mais esta humanidade amarga, decepcionada e cheia de ressentimento Ele nos dá mais uma prova de amor, nos dizendo, entrega-me esta amargura que te impede de ser, de viver em paz comigo, em paz com você, em paz com outros. Me dê tudo, pois eu sou o único que pode te curar das suas amarguras.

Referência do comentário e meditação: (Mateus, 27,48)

48. “Imediatamente um deles tomou uma esponja, embebeu-a em vinagre e apresentou-lhe na ponta de uma vara para que bebesse”.


Referência:
Construção do texto e edição:
Santuário Nossa Senhora Desatadora dos Nós.


Passagem completa na bíblia:

46. Próximo da hora nona (três da tarde), Jesus exclamou em voz forte: Eli, Eli, lammá sabactáni? - o que quer dizer: Meu Deus, meu Deus, por que me abandonaste? 47. A estas palavras, alguns dos que lá estavam diziam: Ele chama por Elias. 48. Imediatamente um deles tomou uma esponja, embebeu-a em vinagre e apresentou-lha na ponta de uma vara para que bebesse. 49. Os outros diziam: Deixa! Vejamos se Elias virá socorrê-lo. 50. Jesus de novo lançou um grande brado, e entregou a alma. 51. E eis que o véu do templo se rasgou em duas partes de alto a baixo, a terra tremeu, fenderam-se as rochas. 52. Os sepulcros se abriram e os corpos de muitos justos ressuscitaram. 53. Saindo de suas sepulturas, entraram na Cidade Santa depois da ressurreição de Jesus e apareceram a muitas pessoas. 54.

O centurião e seus homens que montavam guarda a Jesus, diante do estremecimento da terra e de tudo o que se passava, disseram entre si, possuídos de grande temor: Verdadeiramente, este homem era Filho de Deus!"

Referência: Mateus, 27,46-54 - Bíblia Edição Ave Maria

Voltar

Links Relacionados