O Sacramento da Confissão


Quem, entre nós, pode pensar que não é pecador?

Basílica de São Pedro, no
Vaticano, o Papa presidia uma missa para mostrar a importância que ele atribui
ao sacramento da reconciliação, comumente conhecido como confissão. Depois de
ler um sermão, ele deveria ter ido a um confessionário vazio para ouvir
confissões dos fiéis comuns, enquanto cerca de 60 sacerdotes espalhados ao
redor da enorme igreja faziam o mesmo. Seu mestre de cerimônias apontou a
cabine vazia ao Papa, mas Francisco foi direto para outra, ajoelhou-se diante
de um sacerdote e confessou. O fato ocorreu em 2014, e foi a primeira vez que
um papa se confessou diante de todos. Estas imagens têm rodado o mundo e
encorajado milhões de pessoas a se confessarem.
 Descubra abaixo o significado da confissão e os quatro passos para podermos receber o perdão de Deus.

O significado da confissão: A
confissão é um sacramento de cura. O Papa Francisco explica que “o perdão dos
nossos pecados não é algo que podemos dar a nós mesmos. Eu não posso dizer:
perdoo os meus pecados. O perdão é pedido a outra pessoa e na Confissão pedimos
o perdão a Jesus. O perdão não é fruto dos nossos esforços, mas uma dádiva, é
um dom do Espírito Santo”.

São quatro passos que damos
para poder receber o perdão do Pai: “Deus espera-nos, como o pai da parábola do
filho Pródigo, de braços estendidos, ainda que não o mereçamos. Não importa a
nossa dívida e o tamanho de nossos pecados.

1. Exame de consciência: O
exame de consciência consiste em refletir sobretudo aquilo que fizemos para nos
afastar de Deus.

2. Contrição e propósito de
não voltar a pecar:
A contrição, ou arrependimento, é uma dor da alma e uma
rejeição dos nossos pecados, que inclui a resolução de não voltar a pecar. É um
dom de Deus: por isso, se te parece que ainda estás apegado ao pecado – que,
por exemplo, não te vês com forças para abandonar um vício, perdoar a uma
pessoa ou emendar um dano causado – pede-lhe a Ele que atue no teu coração,
para que rejeites o mal.

 “A contrição – explica o Papa – é o pórtico do
arrependimento, é essa senda privilegiada que leva ao coração de Deus, que nos
acolhe e nos oferece outra oportunidade, sempre que nos abramos à verdade da
penitência e nos deixemos transformar pela sua misericórdia”.

Existem várias orações que
servem para manifestar a contrição, por exemplo, a seguinte:

Meu Deus, arrependo-me de todo
o coração de todos os meus pecados e detesto-os, porque ao pecar, não só mereço
as penas que causam, mas principalmente porque te ofendo a Ti, sumo Bem e digno
de amor acima de todas as coisas. Por isso proponho firmemente, com a ajuda da
Tua graça, daqui em diante não voltar a pecar e fugir de toda a ocasião de
pecado. Amém.

3. Confessar os pecados: Uma
boa confissão é dizer os pecados ao sacerdote de forma clara, concreta, concisa
e completa. A confissão consiste na acusação dos pecados feita diante do
sacerdote. Confessar-se com um sacerdote é um modo de pôr a sua vida nas mãos e
no coração de outro, que nesse momento atua em nome e por conta de Jesus.



















4. Cumprir a penitência: O
sacerdote indica uma penitência para reparar o dano causado. A satisfação
consiste no cumprimento de certos atos de penitência (orações, alguma
mortificação, etc.), que o confessor indica ao penitente para reparar o dano
causado pelo pecado. É una ocasião também para dar graças a Deus pelo perdão
recebido e renovar o propósito de não voltar a pecar.

Nunca se esqueça: “Quem, entre nós,
pode pensar que não é pecador?”, Papa Francisco.

Referência:
O Sacramento da Confissão - Papa Francisco.
Texto: Santuário Nossa Senhora Desatadora dos Nós.


Voltar

Links Relacionados